New version available here: vedabase.io

VERSO 30

sādhibhūtādhidaivaṁ māṁ
sādhiyajñaṁ ca ye viduḥ
prayāṇa-kāle ’pi ca māṁ
te vidur yukta-cetasaḥ
Palavra por palavra: 
sa-adhibhūta — e o princípio governante da manifestação material; adhidaivam — que governa todos os semideuses; mām — a Mim; sa-adhiyajñam — e que governa todos os sacrifícios; ca — também; ye — aqueles que; viduḥ — conhecem; prayāṇa — da morte; kāle — no momento; api — mesmo; ca — e; mām — a Mim; te — eles; viduḥ — conhecem; yukta-cetasaḥ — suas mentes ocupadas em Mim.
Tradução: 
Aqueles que estão em plena consciência de Mim, que sabem que Eu, o Senhor Supremo, sou o princípio governante da manifestação material, dos semideuses e de todos os métodos de sacrifício, podem, mesmo na hora da morte, compreender e conhecer a Mim, a Suprema Personalidade de Deus.
Significado: 

SIGNIFICADO As pessoas que agem em consciência de Kṛṣṇa nunca se desviam do caminho no qual se tem total compreensão acerca da Suprema Personalidade de Deus. Na associação transcendental cultivada através da consciência de Kṛṣṇa, pode-se compreender como o Senhor Supremo é o princípio que governa a manifestação material e mesmo os semideuses. Aos poucos, por meio dessa associação transcendental, passa-se a aceitar a Suprema Personalidade de Deus, e ao chegar a hora da morte, esse devoto consciente de Kṛṣṇa jamais pode se esquecer de Kṛṣṇa. Naturalmente, ele é então promovido ao planeta do Senhor Supremo, Goloka Vṛndāvana.

Este Sétimo Capítulo explica com pormenores como alguém pode tornar-se completamente consciente de Kṛṣṇa. A consciência de Kṛṣṇa começa com a associação com pessoas que são conscientes de Kṛṣṇa. Essa associação é espiritual e coloca-nos em contato direto com o Senhor Supremo, e, por Sua graça, podemos compreender que Kṛṣṇa é a Suprema Personalidade de Deus. Ao mesmo tempo, é possível entender a verdadeira posição constitucional da entidade viva e como a entidade viva se esquece de Kṛṣṇa e se enreda em atividades materiais. Cultivando boa associação que lhe propicie o desenvolvimento gradual da consciência de Kṛṣṇa, o ser vivo pode compreender que, devido ao fato de ter-se esquecido de Kṛṣṇa, ele se condicionou às leis da natureza material. Ele também pode compreender que esta forma de vida humana é uma oportunidade para reaver a consciência de Kṛṣṇa e que deve ser utilizada por completo para obter a misericórdia imotivada do Senhor Supremo.

Muitos assuntos foram discutidos neste capítulo: o homem em aflição; o homem inquisitivo; o homem que passa necessidades materiais; o conhecimento acerca do Brahman; o conhecimento acerca do Paramātmā; livrar-se do nascimento, da morte e das doenças; e a adoração ao Senhor Supremo. Entretanto, aquele que está elevado em consciência de Kṛṣṇa verdadeira não se preocupa com os diferentes processos. Ele apenas se ocupa diretamente em atividades da consciência de Kṛṣṇa e com isso atinge sua posição constitucional como um servo eterno do Senhor Kṛṣṇa. Ele então sente prazer em ouvir e glorificar o Senhor Supremo no serviço devocional puro e está convicto de que, tomando esta atitude, todos os seus objetivos serão satisfeitos. Esta fé firme chama-se dṛḍha-vrata, e é o começo da bhakti-yoga, ou o serviço transcendental amoroso. Este é o veredicto de todas as escrituras. Este Sétimo Capítulo do Bhagavad-gītā é a essência de tal convicção.

Neste ponto encerram-se os significados Bhaktivedanta do Sétimo Capítulo do Śrīmad Bhagavad-gītā que trata do Conhecimento Acerca do Absoluto.