New version available here: vedabase.io

VERSO 41

prāpya puṇya-kṛtāṁ lokān
uṣitvā śāśvatīḥ samāḥ
śucīnāṁ śrīmatāṁ gehe
yoga-bhraṣṭo ’bhijāyate
Palavra por palavra: 
prāpya — depois de alcançar; puṇya-kṛtām — daqueles que executaram atividades piedosas; lokān — planetas; uṣitvā — depois de residir; śāśvatīḥ — muitos; samāḥ — anos; śucīnām — dos piedosos; śrī-matām — dos prósperos; gehe — na casa; yoga-bhraṣṭaḥ — aquele que caiu do caminho da auto-realização; abhijāyate — nasce.
Tradução: 
Após muitos e muitos anos de gozo nos planetas habitados por entidades vivas piedosas, o yogī malogrado nasce numa família de pessoas virtuosas ou numa família aristocrata e rica.
Significado: 

SIGNIFICADO Os yogīs malsucedidos dividem-se em duas classes: numa estão aqueles que caem após pouquíssimo progresso, e na outra, aqueles que caem após longa prática de yoga. O yogī que cai após um curto período de prática vai para os planetas superiores, aos quais as entidades vivas piedosas têm acesso. Depois de uma vida prolongada, ele é mandado de volta a este planeta, para nascer na família de um brāhmaṇa vaiṣṇava virtuoso ou de comerciantes aristocratas.

O verdadeiro propósito da prática de yoga é conseguir a perfeição máxima, a consciência de Kṛṣṇa, como se explica no último verso deste capítulo. Mas, aqueles que não perseveram até este ponto e que falham devido às seduções materiais têm, pela graça do Senhor, permissão de desenvolver suas propensões materiais. E depois disso, eles recebem a oportunidade de viver vidas prósperas em famílias virtuosas ou aristocráticas. Aqueles que nascem em tais famílias podem tirar proveito das condições favoráveis e tentar elevar-se à plena consciência de Kṛṣṇa.