VERSOS 5-6

aśāstra-vihitaṁ ghoraṁ
tapyante ye tapo janāḥ
dambhāhaṅkāra-saṁyuktāḥ
kāma-rāga-balānvitāḥ
karṣayantaḥ śarīra-sthaṁ
bhūta-grāmam acetasaḥ
māṁ caivāntaḥ śarīra-sthaṁ
tān viddhy āsura-niścayān
Palavra por palavra: 
aśāstra — não nas escrituras; vihitam — dirigidas; ghoram — prejudiciais para os outros; tapyante — submetem-se a; ye — aqueles que; tapaḥ — austeridades; janāḥ — pessoas; dambha — com orgulho; ahaṅkāra — e egoísmo; saṁyuktāḥ — ocupados; kāma — da luxúria; rāga — e apego; bala — pela força; anvitāḥ — impelidos; karṣayantaḥ — atormentando; śarīra-stham — situados dentro do corpo; bhūta-grāmam — a combinação de elementos materiais; acetasaḥ — tendo uma mentalidade desorientada; mām — a Mim; ca — também; eva — decerto; antaḥ — dentro; śarīra-stham — situados no corpo; tān — a eles; viddhi — compreenda; āsura-niścayān — demônios.
Tradução: 
Aqueles que se submetem a rigorosas austeridades e penitências não recomendadas nas escrituras, executando-as por orgulho e egoísmo, que são impelidos por luxúria e apego, que são tolos e que torturam os elementos materiais do corpo bem como a Superalma que mora dentro deste, devem ser conhecidos como demônios.
Significado: 

SIGNIFICADO Há pessoas que inventam métodos de austeridade e penitência que não são mencionados nos preceitos das escrituras. Por exemplo, jejuar com algum propósito subjacente, tal como promover um fim puramente político, não consta nas instruções das escrituras. As escrituras recomendam o jejum para se obter avanço espiritual, e não com algum fim político ou propósito social. Segundo o Bhagavad-gītā, as pessoas que adotam essas austeridades na certa são demoníacas. Seus atos vão de encontro aos preceitos das escrituras e não são benéficos para o povo em geral. Na verdade, elas agem por orgulho, falso ego, luxúria e apego ao prazer material. Com essas atividades, não só se perturbam a combinação de elementos materiais de que o corpo é construído, mas também a própria Suprema Personalidade de Deus que mora dentro do corpo. Semelhante jejum ou austeridades desautorizadas, feitos com algum fim político, decerto perturbam demais os outros. Tais atos não são mencionados na literatura védica. O homem demoníaco pode pensar que, com este método, consegue forçar seu inimigo ou outras facções a curvar-se a seus desejos, mas às vezes ele acaba morrendo devido ao jejum. Estes atos não são aprovados pela Suprema Personalidade de Deus, que diz que quem se dedica a tais atividades são demônios. Tais demonstrações são insultos à Suprema Personalidade de Deus porque são efetuadas em desobediência aos preceitos das escrituras védicas. A palavra acetasaḥ é significativa neste contexto. Pessoas que têm uma mente equilibrada devem obedecer aos preceitos das escrituras. Aqueles que não estão nessa posição, negligenciam as escrituras e desobedecem a elas, inventando seu próprio método de austeridades e penitências. É bom sempre lembrar que fim levam os seres demoníacos, como foi descrito no capítulo anterior. O Senhor força-os a nascer nos ventres de outros seres demoníacos. Por conseguinte, vida após vida eles viverão segundo princípios demoníacos, sem conhecer sua relação com a Suprema Personalidade de Deus. Entretanto, se eles forem afortunados o bastante para serem guiados por um mestre espiritual que possa dirigi-los para o caminho da sabedoria védica, eles poderão sair deste enredamento e acabarão alcançando a meta suprema.