New version available here: vedabase.io

VERSO 8

ahaṁ sarvasya prabhavo
mattaḥ sarvaṁ pravartate
iti matvā bhajante māṁ
budhā bhāva-samanvitāḥ
Palavra por palavra: 
aham — Eu; sarvasya — de tudo; prabhavaḥ — a fonte da geração; mattaḥ — de Mim; sarvam — tudo; pravartate — emana; iti — assim; matvā — conhecendo; bhajante — tornam-se devotados; mām — a Mim; budhāḥ — os eruditos; bhāva-samanvitāḥ — com grande atenção.
Tradução: 
Eu sou a fonte de todos os mundos materiais e espirituais. Tudo emana de Mim. Os sábios que conhecem isto perfeitamente ocupam-se no Meu serviço devocional e adoram-Me de todo o coração.
Significado: 

SIGNIFICADO Um sábio erudito que tenha estudado perfeitamente os Vedas e tenha aprendido com autoridades como o Senhor Caitanya, e que saiba como aplicar estes ensinamentos, pode compreender que Kṛṣṇa é a origem de tudo no mundo material e no mundo espiritual, e porque conhece isto a fundo, ele se fixa firmemente no serviço devocional ao Senhor Supremo. Nenhuma quantidade de comentários absurdos, nem tolo algum, jamais podem dissuadi-lo de seu propósito. Toda a literatura védica concorda que Kṛṣṇa é a fonte de Brahmā, Śiva e de todos os outros semideuses. No Atharva Veda (Gopāla-tāpanī Upaniṣad 1.24), se diz que yo brahmāṇaṁ vidadhāti purvaṁ yo vai vedāṁś ca gāpayati sma kṛṣṇaḥ: “Foi Kṛṣṇa que, no princípio, instruiu Brahmā no conhecimento védico e que, no passado, disseminou o conhecimento védico”. E também o Nārāyaṇa Upaniṣad (1) diz que atha puruṣo ha vai nārāyaṇo ’kāmayata prajāḥ sṛjeyeti: “Então, a Suprema Personalidade, Nārāyaṇa, desejou criar as entidades vivas”. O Upaniṣad continua, nārāyaṇād brahmā jāyate, nārāyaṇād prajāpatiḥ prajāyate, nārāyaṇād indro jāyate, nārāyaṇād aṣṭau vasavo jāyante, nārāyaṇād ekādaśa rudrā jāyante, nārāyaṇād dvādaśādityāḥ: “De Nārāyaṇa nasceu Brahmā; e de Nārāyaṇa os patriarcas também nasceram. De Nārāyaṇa nasceu Indra; de Nārāyaṇa nasceram os oito Vasus; de Nārāyaṇa nasceram os onze Rudras; de Nārāyaṇa nasceram os dozes Ādityas”. Este Nārāyaṇa é uma expansão de Kṛṣṇa.

Nos mesmos Vedas, afirma-se que brahmaṇyo devakī-putraḥ: “O filho de Devakī, Kṛṣṇa, é a Personalidade Suprema”. (Nārāyaṇa Upaniṣad 4) Então, se diz que eko vai nārāyaṇa āsīn na brahmā na īśāno nāpo nāgni-somau neme dyāv-āpṛthivī na nakṣatrāṇi na sūryaḥ: “No princípio da criação só existia a Suprema Personalidade, Nārāyaṇa. Não havia Brahmā, nem Śiva, nem fogo, nem Lua, nem estrelas no céu, nem Sol”. (Mahā Upaniṣad 1.2) No Mahā Upaniṣad, também se diz que o Senhor Śiva nasceu da testa do Senhor Supremo. Assim, os Vedas dizem que é ao Senhor Supremo, o criador de Brahmā e Śiva, que devemos adorar.

No Mokṣa-dharma, Kṛṣṇa também diz:

prajāpatiṁ ca rudraṁ cāpy
aham eva sṛjāmi vai
tau hi māṁ na vijānīto
mama māyā-vimohitau

“Os patriarcas, Śiva e outros são criados por Mim, embora não saibam que são criados por Mim porque são iludidos por Minha energia ilusória.” No Varāha Purāṇa, também se afirma:

nārāyaṇaḥ paro devas
tasmāj jātaś caturmukhaḥ
tasmād rudro ’bhavad devaḥ
sa ca sarva-jñatāṁ gataḥ

“Nārāyaṇa é a Suprema Personalidade de Deus, e dEle nasceu Brahmā, de quem Śiva nasceu.”

O Senhor Kṛṣṇa é a fonte de todas as gerações, e Ele é chamado a causa mais eficiente de tudo. Ele diz: “Porque tudo nasceu de Mim, Eu sou a fonte da qual tudo se origina. Tudo está sob Mim, ninguém está acima de Mim”. Kṛṣṇa é o único controlador supremo. Alguém que, tomando como referência a literatura védica, aprendeu com um mestre espiritual genuíno a desenvolver tal compreensão acerca de Kṛṣṇa, aplica toda a sua energia na consciência de Kṛṣṇa, e torna-se um homem verdadeiramente erudito. Em comparação a ele, todos os outros, que não têm o devido conhecimento acerca de Kṛṣṇa, não passam de tolos. Só um tolo consideraria Kṛṣṇa um homem comum. Quem é consciente de Kṛṣṇa não deve deixar que os tolos o confundam; ele deve evitar todos os comentários e interpretações do Bhagavad-gītā feitos desautorizadamente e deve prosseguir na consciência de Kṛṣṇa com determinação e firmeza.