New version available here: vedabase.io

VERSO 40

nānto ’sti mama divyānāṁ
vibhūtīnāṁ parantapa
eṣa tūddeśataḥ prokto
vibhūter vistaro mayā
Palavra por palavra: 
na — nem; antaḥ — limite; asti — existe; mama — de Minhas; divyānām — divinas; vibhūtīnām — opulências; parantapa — ó vencedor dos inimigos; eṣaḥ — tudo isto; tu — mas; uddeśataḥ — como exemplos; proktaḥ — falados; vibhūteḥ — de opulências; vistaraḥ — a expansão; mayā — por Mim.
Tradução: 
Ó poderoso vencedor dos inimigos, Minhas manifestações divinas nunca chegam ao fim. O que lhe disse é apenas um mero indício de Minhas opulências infinitas.
Significado: 

SIGNIFICADO Como se afirma na literatura védica, embora haja muitas compreensões sobre as opulências e energias do Supremo, essas opulências são ilimitadas; por isso, não se podem explicar todas as opulências e energias. Apenas uns poucos exemplos estão sendo descritos a Arjuna para satisfazer sua curiosidade.